Publicidade publicidade | Portal Evangélico

Revista americana faz piada de Black Friday no Brasil

Publicado em 29 de November de 2013 às 19:36 Fonte: R7
Exibições: 2108 Comentários

A revista americana Forbes avaliou, em artigo, a tradição importada dos Estados Unidos para o Brasil como uma oportunidade de lojistas aplicarem certos golpes em compradores compulsivos, felizes por participarem de uma tradição americana que, segundo o articulista Kenneth Rapoza, “é tão estranha para eles como a lua”. Para o artigo, se nos EUA a Black Friday é conhecida como o dia dos descontos, no Brasil ela virá a ser conhecida como “o dia da fraude”.

 
Para o autor do texto, se o Brasil fizesse a Black Friday de maneira correta, haveria pessoas acampando em frente ao Shopping Pátio Higienópolis, em um bairro nobre de São Paulo, na noite de quinta-feira (28), ou ao menos grudadas na porta de uma rede como a Fnac à 1h da manhã. Porque nos Estados Unidos, a tradição é ver filas de consumidores acampados em frente a grandes redes varejistas à procura de eletroeletrônicos.
 
O texto lembra que, na última terça-feira (26), a Fundação Procon-SP divulgou uma lista com o nome de 325 lojas online que devem ser evitadas por já terem sido alvo de reclamações de consumidores e por não terem sido encontradas pelo órgão para o registro dos problemas. Ele destaca também que a fundação deu dicas sobre o que conferir na hora da compra para estar seguro quanto à autenticidade da loja e por que evitar transações online em lanhouses.
 
O autor informa ainda que, se nos Estados Unidos os consumidores são mais conscientes quanto aos seus direitos – e às vezes tendem até a abusar deles – no Brasil, isso não acontece. “O Brasil não é uma sociedade litigiosa. Você é atropelado, sorri e aguenta”. Ele aponta ainda a criação do site ReclameAqui, que dá voz aos consumidores lesados por companhias e que, certamente, tem no Black Friday a época mais movimentada do ano.
 
Black Friday exige pesquisa
 
O Black Friday no Brasil conta com algumas lojas que prometem descontos de até 95%. A fraude mais comum neste evento são as falsas ofertas, com “maquiagem” de descontos que nunca existiram, conforme ocorreu em edições anteriores.
 
Segundo órgãos de defesa do consumidor, a pesquisa de preços deve acontecer não só no momento da compra, como antes dela, para ter ideia de quanto realmente custava o produto fora desse período.
 
Renan Ferraciolli, assessor-chefe do Procon-SP, diz que o consumidor pode exigir o desconto real caso perceba que uma loja está maquiando a oferta. “O consumidor deve entrar em contato com a empresa e exigir que o desconto seja aplicado com relação ao preço que é normalmente praticado. Caso a empresa não aceite, ele tem à disposição o Procon para dar queixa. O órgão irá entrar em contato com a empresa para resolver o problema dele e a lesão coletiva que a empresa causou a todos os consumidores. Não se pode inflar o preço dos produtos apenas para conceder um desconto maior, pois isso é propaganda enganosa”.
 
De acordo com Maria Zanforlin, superintende de serviços ao consumidor da Serasa Experian, no caso de compras pela internet, o consumidor também deve pesquisar todas as informações sobre o site que está participando do Black Friday e só negociar caso perceba que a empresa é confiável.
 
Consulta
 
Para auxiliar o consumidor nesse dia, a Serasa Experian liberou gratuitamente a consulta do CNPJ das empresas entre os dia 29 de novembro e 1 de dezembro. O consumidor pode acessar o site da Serasa e consultar a razão social, ocorrência de protestos, cheques sem fundo, ações judiciais, endereço, falências e a existência legal da empresa com a qual pretende fechar negócio.
 
Maria também destaca que o consumidor deve se programar antes da compra e não agir por impulso devido aos grandes descontos. Para todo processo de compra, a recomendação dela é de planejamento. “Primeiro pense: ‘o que posso aproveitar dessa oferta e o que estou precisando?’. Uma questão é que às vezes o consumidor compra muitas coisas pelo impulso e que no fim das contas não estava precisando”, afirma.
 
A superintendente da Serasa diz que o excesso de compras sem planejamento pode fazer com que o consumidor fique inadimplente. “(O consumidor precisa) saber quanto custa o produto, quais são as opções de modelos, quais os fornecedores que disponibilizam esses produtos. Com essas referências você vai mais certeiro nessa busca”.

Comentários

Você pode selecionar um ou mais smiley face para inserir em seu comentário

Todos os comentários nesta página estão sujeitas aos nossos Termos de Uso e não refletem necessariamente a opinião do Portal Fiel ou dos seus colaboradores. Ajude-nos a acompanhar os comentários que são ilegais, prejudicial, ameaçador, abusivo, vexatório, difamatório, vulgar, obsceno, odioso, ou racial, étnico ou censurável.

Bíblia Brasil

Notícias

Notícias gospel
O mundo irá acabar em 2016? 11 de February de 2016 às 22:14

Em 1847, um grupo de colonos americanos ficou isolado devido ao inverno, e enquanto o frio

CNBB volta a criticar aborto em caso de microcefalia 11 de February de 2016 às 17:00

O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Sérgio

Ministério da Saúde confirma terceira morte pelo vírus da zika 11 de February de 2016 às 10:21

O Ministério da Saúde confirmou a terceira morte pelo vírus da zika,

Marca rara de selo do rei bíblico Ezequias é encontrada em Jerusalém 04 de December de 2015 às 12:29

O artefato que representa a marca do selo do rei Ezequias que segundo a história aj

Atriz pornô diz ser evangélica em entrevista 30 de October de 2015 às 17:24

Kamilla Werneck, atriz de filmes eroticos afimou durante entrevista que sua profissã

Copyright © Portal Fiel - Gospel | Teresina | Piauí - Todos os Direitos Reservados

 

As imagens utilizadas neste site são frutos de pesquisas na internet, e podem possuir direitos autorais. Caso seja o autor de alguma imagem e gostaria de ter seu nome incluído ou mesmo não permitir o uso da imagem entre em contato com o site.